Jodi Picoult – A Guardiã da Minha Irmã

Caramba! Caramba! Esse é o tipo de livro que faz você terminar chorando rios, de queixo caído e ficar pensando na história durante dias e dias. Uma obra para tocar no fundo do coração e da alma, para levantar diversos questionamentos em nossa mente e nos fazer refletir profundamente sobre o certo e o errado, sobre vida e morte.

Conheçam e se apaixonem pela trama de uma menina, uma garota de 13 anos, que nasceu e vive toda vida para salvar a irmã. Anna é uma menina saudável, mas que passou grande parte dos seus dias no hospital, já enfrentou diversas cirurgias e procedimentos e tem várias restrições por esses motivos. Tudo isso porque sua irmã Kate possui um tipo raro de leucemia e necessita de diversas doações para continuar vivendo. Anna foi concebida por inseminação, de forma a ser a doadora perfeita, totalmente compatível com a irmã, para doar o cordão umbilical. Mas as células-tronco não foram suficientes para curar Kate, e durante vários anos, outros procedimentos e cirurgias tiveram que ser feitos.

Agora, com 13 anos, Anna decidiu que não quer mais ser espetada, viver em hospitais e ser forçada a fazer coisas que certamente prejudicam sua saúde física e mental. Para isso, ela procura um advogado e entra com uma petição de emancipação médica, que lhe daria o direito de decidir sobre o que é feito com o próprio corpo.

Não julgue precipitadamente. Esqueça qualquer pré-conceito que você tenha sobre doação. Apenas pare e pense em uma criança que viveu sua vida inteira a sombra da irmã, sendo definida por ela e sem ser vista por seus pais. Uma criança cujos desejos, medos, esperanças estão relegados a segundo plano, nunca importam, porque ela tem uma irmã com leucemia. Pensem em uma família totalmente desestruturada, que há 16 anos luta contra a tristeza e contra o mal, um mal que se abateu de tal forma sobre eles que contaminou todos os integrantes.

A grande questão neste livro é: até que ponto você vai para salvar uma vida? É justo tentar de todas as formas, mesmo quando isso passa por cima do direito básico de um ser humano? A Guardiã da Minha Irmã não é uma leitura bonita, é um relato triste mas extremamente comovente da vida real, de uma situação que poderia acontecer com qualquer um! Vamos alternando a narrativa entre os vários protagonistas, conhecendo seus pontos de vista e suas histórias, intercalando a trama central.

Uma obra fantástica e surpreendente, com uma edição super bem revisada e de escrita impecável. Quero ler todos os livros da autora urgente!!! Mais do que recomendada, minha única ressalva é com relação à capa, da qual eu não gostei, mas que retrata bem o enredo.Cada página tinha um quote divino, uma lição de vida, mas como não poderia escrever o livro todo, selecionei três para colocar aqui.

“– Não vou mudar de ideia – garanto, rolando a latinha entre uma palma e outra – Acho que só estou dizendo que, mesmo se a gente ganhar, a gente perde.” Pg. 312

“(…) é um salto enorme da ameba para o macaco e daí para um ser humano pensante. O mais incrível de tudo isso é que, não importa em que você acredita, deu bastante trabalho ir de um ponto em que não havia nada até um ponto em que todos os neurônios certos se acendem para que a gente possa tomar decisões. E o mais incrível ainda é que, embora isso já seja natural, nós ainda consigamos errar tanto” Pg. 260

“Não é justo, mas Kate sabe disso. Não é preciso uma vida longa para saber que raramente conseguimos aquilo que merecemos.” Pg. 339

 Avaliação (de 1 a 5):

Novidades Literárias

Hey gente! Hoje trago uma novidade super legal, o Mundo da Leitura tem sua primeira editora parceira. 🙂 Eu fiquei super feliz e espero que vocês acompanhem as notícias que eu trarei sobre lançamentos da Editora Fundamento!

Para começar, trago a sinopse de um livro que está na lista dos meus desejados e parece muito interessante, Herdeiro da Escuridão de Paul Cleave.

Edward Hunter tem tudo o que um homem pode desejar: uma linda família, um bom emprego e um futuro promissor. Ou quase tudo: ele também é o filho de um terrível assassino em série, preso há décadas e que jamais voltará às ruas novamente. Graças ao pai, Edward perdeu a mãe, viu a irmã se tonaruma viciada e cresceu com a certeza de que era visto por todos ao seu redor como uma bomba-relógio que poderia explodir a qualquer momento.

Hunter parece ter deixado o passado obscuro para trás – até o dia em que sua vida sofre uma mudança cruel e totalmente inesperada. Faltando poucos dias para o Natal, a mulher de Edward é morta durante um assalto a banco. A estabilidade e a paz de espírito que ele acreditava ter alcançado desaparecem e dão lugar a um vazio que se transforma em revolta, frustração e em um desejo ardente de vingança.

A demora da polícia em encontrar e prender os bandidos faz com que Edward resolva caçar sozinho os homens que mataram sua esposa. E, em pouco tempo, ele descobre que poderá ter um aliado de peso nessa busca: o próprio pai, que tem condições de lhe dar informações valiosas sobre a quadrilha de assaltantes.

Como alguém que acredita não ter mais nada a perder, Edward parece estar disposto a se tornar o segundo assassino da família Hunter. Será que ele pode evitar que a tragédia arruíne de vez a sua vida? Ou irá apenas fazer o que parece inevitável – ouvir o “monstro” que habita sua mente e se transformarem um matador?

Herdeiro da escuridão é um thriller emocionante, irresistível e com surpresas que se revelam a cada página. Confiram!

Deborah Harkness – A Descoberta das Bruxas

Um dos melhores do ano! Uau, estou cansando de falar isso mentiiiira, tragam mais livros maravilhosos, eu faço um top twenty não tem problema!!! Me apaixonei perdidamente pelo enredo deste livro. A capa e a proposta me encantaram desde o início e quanto mais lia, mais empolgada e emocionada ficava. Esta é uma obra em que a autora soube dosar ingredientes maravilhosos, que acabaram por formar um resultado muito rico. Fantasia, magia, suspense, aventura, ação, mistério, tudo isso vem embrulhado em uma capa maravilinda e com uma espessa cobertura de romance. 😀 Preciso dizer que amei?

O livro nos conta a saga de Diana Bishop, uma historiadora órfã que renegou sua magia desde muito pequena. Ela é uma bruxa, nascida da união de duas famílias poderosíssimas e tradicionais. Porém, todo o poder que seus pais tinham não foi o suficiente para livrar-lhes do destino cruel que os esperava. Por causa disso, Diana aprendeu a odiar, ou pelo menos suprimir sua magia. Claro, haviam pequenas exceções: quando sua máquina de lavar ameaça inundar o apartamento, você não tem muito o que fazer não é?!

Como disse, ela é uma historiadora que já publicou diversas pesquisas sobre alquimia. E é pesquisando para mais uma publicação que Diana encontra, por acidente, um antigo manuscrito (o Ashmole 782) cujo teor ela logo identifica como enfeitiçado. Temendo a magia contida nele, a moça o devolve à biblioteca, sem saber que quebrou o feitiço que há muitos anos o mantinha escondido. Por esta razão, Diana logo se vê perseguida por várias criaturas: vampiros, bruxas e demônios estão a sua caça, imaginando que ela pode resgatar novamente aquele precioso manuscrito.

É assim que ela conhece Matthew Clairmont, um poderoso vampiro que também quer o manuscrito, mas logo descobre que deseja bem mais a segurança daquela bela bruxa. Assim, eles viverão muitas aventuras a procura de respostas. Afinal, porque o Ashmole 782 é tão importante? O que realmente aconteceu com os pais de Diana? Porque ela detesta tanto a magia?

Você deve ter pensado que o roteiro parece clichê, mas acreditem no que eu digo, clichê é o que menos há neste livro. Eu amei cada página desta obra, babei na história e me confortei quando soube que era uma trilogia, porque não queria parar de ler sobre esse novo mundo criado por Deborah Harkness tão cedo!

A única crítica que eu faço não tem nada a ver com o enredo nem com a escrita da autora, mas sim com a Editora Rocco. Não é segredo para ninguém que a Rocco vende seus livros como se fossem feitos de ouro. Em minha opinião, eles acham que no Brasil quem tem o hábito de leitura é muito rico e pode pagar R$ 50,00 ou R$ 60,00 por um livro. Alôoooou, não é bem assim!!! Mas eu não sou de ficar chorando pelo preço se o livro é bom (vide série Outlander), só que existem certos cuidados indispensáveis na hora de publicar uma obra pela qual você irá cobrar os olhos da cara. Uma delas é revisar muito bem o livro!

Falta de palavras, palavras com grafia errada ou erros de concordância não são aceitáveis. Apesar de não serem muitos, me incomodaram. Outra coisa que eu achei o fim foi o tamanho da letra. Sério, não tenho problemas de visão meus olhos vão muito bem, obrigada, mas estou com medo de ficar míope após essa leitura. Sinceramente, demorei uns dois dias a mais para ler por causa da letra, que tornou a obra muito cansativa! Uma história desse porte merecia coisa melhor!!! Eu sei que o livro já é grande com essa letra miúda, mas já que iam cobrar caro, que cobrassem R$ 10,00 a mais e colocassem uma fonte mais agradável aos olhos.

É chato ficar se lamuriando, eu sei. E este livro nem merecia ter dois parágrafos negativos tão grandes associado a ele. O porém é que esta editora é uma das poucas que raramente ou nunca leva em consideração a opinião de seus leitores, cobra fortunas pelos títulos publicados, não faz promoções quase nunca e me sinto explorada pelos preços abusivos deles levando para casa uma obra que poderia ser bem melhor. Sim, estou desabafando (isso levando em consideração o nome ridículo que eles colocaram no último livro de Jogos Vorazes e que se recusam a mudar)!

Mas chega de falar de coisas ruins, porque mesmo com tudo isso que escrevi, EU TOTALMENTE RECOMENDO “A DESCOBERTA DAS BRUXAS”! Vale a pena pagar caro, se estressar com o tamanho da letra e etc. só para poder mergulhar neste mundo mágico criado por Deborah Harkness. 😀 Como eu já disse momento redundância este foi um dos melhores livros do ano e deixo o lembrete: corram para as livrarias, não percam tempo: leiam, leiam, leiam!!! Cariocas e demais pessoas que vão na bienal, aproveitem para autografar o livro com a autora seus sortudos!

Avaliação (de 1 a 5):

Alyson Noël – Terra de Sombras

Aqui estamos nós, em mais uma resenha desta série. Os Imortais, de Alyson Noël, se iniciou como promessa de uma trama original, de proposta atraente e diferenciada do que tínhamos visto até então. O primeiro volume, cuja resenha você pode ver aqui, me deixou bastante empolgada, nos apresentando Ever e Damen, um casal que já esteve junto durante várias vidas. Já o segundo volume (resenha) perdeu um pouco do brilho inicial da estória, mas ainda assim teve ação, novos personagens e um desenvolvimento satisfatório (excluindo-se a burrice de Ever). Este terceiro volume foi o pior até agora, em minha opinião. Isso porque praticamente não houve nenhum acontecimento relevante para a trama.

Depois de toda a burrada que a protagonista conseguiu não sei como fazer no final do segundo livro, as coisas estão bem complicadas para o casal. Damen está convicto de que todo o mal que se abateu sobre eles é fruto dos muitos anos que ele passou sendo uma pessoa frívola e fútil. Por isso ele decide abdicar de sua fortuna e virar um ser humano ou Imortal, no caso “zen”. Isso inclui andar com roupas simples, se desfazer do carro, da mansão e passar a viver uma vida sem nenhum tipo de luxo.

O vilão da história, Roman, pelo visto se deu por satisfeito com sua vingança, porque não influi em muita coisa. São raros os trechos em que ele aparece e somente no final o Imortal tem grande participação. A única vilania que ele faz é se recusar a entregar para Ever o antídoto para reverter o mal que o mesmo causou no segundo volume. Mas apenas Ever, com sua imensa burrice, é que esperava que ele fizesse algo assim!

Miles, o amigo de Ever, continua sendo a graça da obra. Gosto muito do personagem, e olha que ele é um dos raros! Só acho que o garoto poderia ser melhor aproveitado, quase não aparece neste volume também. Aliás, além de Ever e Damen quase não vemos ninguém na trama. Raven para mim é uma amiga da onça, muito sonsa e enjoada, detesto ela e estou cabreira com o próximo livro, já que ficou claro no fim deste que ela terá uma grande participaçãoem Chama Negra.

É bem complicado falar sobre esta série, porque vocês podem reparar que quase todo mundo fala mal, mas são raros os que a abandonam. Alyson Noël é a grande culpada, por criar uma série tão fraca, com tanta embromação, mas que não podemos largar por pura curiosidade de saber o final. O triste é saber que ainda tenho mais três livros pela frente!!!

Como disse, o final me deixou preocupada em relação à Chama Negra, quero ver se leio logo o próximo volume para saber se meus receios são ou não infundados.

Avaliação (de 1 a 5):

Volta ao Mundo em Sete Dias #5

Mais uma semana literária que passou e cá estou para deixar vocês por dentro do mundo da leitura!

Vamos direto ao que já li. Essa semana comecei com Procura-se um vampiro, da autora Charlaine Harris, que é o sexto volume da série Sookie Stackhouse. Eu adoro esta coleção sobre vampiros e precisava muito desta obra, que foi uma das melhores da série até agora!!! Depois li A Descoberta das Bruxas, de Deborah Harkness, que foi meu queridinho da semana (sério, o livro é muuuuito bom)! Eu demorei a lê-lo porque praticamente todos os dias da semana tive algum compromisso e não pude ir direto para casa cumprir meu ritual de leitura. Outro fato que contribuiu para que eu passasse quatro dias lendo-o foi o número de páginas e o tamanho da letra (pequena demais). Por isso, depois desse só deu tempo de ler O Clube do Filme, de David Gilmour, que foi uma leitura rápida mas que não me cativou nem um pouco.

No momento estou lendo A Guardiã da Minha Irmã, primeira obra que leio de Jodi Picould, eba o/ livro que eu estava aguardando ansiosamente!

O que chegou está semana:

– O Clube do Filme, de David Gilmour (recebi de uma troca no Skoob)

– A Guardiã da Minha Irmã, de Jodi Picould

– A Descoberta das Bruxas, de Deborah Harkness

– Pequena Abelha, de Chris Cleave (também de uma troca no Skoob)

Recebi marcadores muito lindos que a fofa da Andréia, do blog Mon Petit Poison, me mandou depois de uma troca que fizemos. 🙂 Fiquei mega feliz e lisonjeada, muito muito obrigada querida!!! Também recebi marcadores que as skoobers com quem troquei me mandaram, um super obrigada meninas, vocês foram demais!!!

Neste sábado haverão dois encontros literários, o Clube do Livro da Saraiva, com o tema Meg Cabot e o encontro de Skoobers na Casa de Cultura Mário Quintana. Infelizmente não poderei comparecer em nenhum dos dois, pois terei aula na faculdade. As práticas de topografia são obrigatórias e mal posso esperar cof, cof pela chance de me embarrar no solo úmido!!!

Todos muito atarefados ou contando os dias para a bienal?! Blogueiros que estão com as malas prontas, meus parabéns pela sorte, aproveitem bem em meu nome!!! 😛 Serão muitos dias de lançamentos, sessões de autógrafos e muitos brindes imperdíveis! Um dia, tomara que não muito longe, espero poder comparecer a um evento deste porte. Por enquanto terei de me contentar com a feira do livro de Porto Alegre!

Por hoje era isso, a semana foi meio parada, acho que todos estamos na expectativa para o grande evento de livros que se aproxima! E vocês, leram algo de bom está semana? Espero a todos na próxima Volta ao Mundo! 😉

John Flanagan – Rangers – Ordem dos Arqueiros: Ruínas de Gorlan

Oi gente! Para alegrar a sua sexta-feira, trago uma ótima indicação de um livro infanto-juvenil cativante e empolgante. Se Eragon foi uma leitura arrastada e difícil de terminar, esta obra foi justamente o oposto. Li em dois dias e terminei querendo mais! Conheçam hoje o primeiro volume da série Rangers – Ordem dos Arqueiros, Ruínas de Gorlan.

O enredo conta a história de Will. Ele é um órfão, não tem sobrenome e nem família conhecidos. Foi levado para o castelo do barão Arald ainda um bebê e lá ficou sobre os cuidados do patriarca. Prestes a completar 15 anos, Will enfrentará o Dia da Escolha, quando poderá se candidatar a aprendiz e ser treinado por um dos mestres do ofício que ele escolher.

Tudo que o garoto mais deseja é ser um aprendiz na Escola de Guerra, mas seu porte magro e franzino não ajuda muito a manter tal pretensão. O garoto é bom mesmo em se esquivar, passar despercebido e fugir velozmente quando necessário. Esses são atributos que ele não considera nem um pouco importantes, porque tudo que queria era ser forte e musculoso com Horace, um de seus amigos.

Chegado o Dia da Escolha, ele é rejeitado pelo mestre das armas, fato que já era esperado. Porém, o barão tinha outros planos para o menino, pois viu que ele tinha potencial para um ofício misterioso e muito mais secreto. Assim, Will é solicitado como aprendiz de Halt, o mestre dos arqueiros.

Halt é um capítulo a parte! Misterioso, genioso, mas de bom coração, ele apresentará ao garoto as artimanhas deste fascinante mundo dos arqueiros. O treinamento é árduo, muitas vezes não faz nem sentido para o jovem, mas logo ele acaba se afeiçoando ao mestre, que é como o pai que ele não teve. Existem muitos perigos que assolam o reino onde se passa a trama, e juntos os dois arqueiros viverão muitas aventuras, aprenderão coisas novas e se unirão em prol de um bem maior!

O livro é muito bem estruturado e narrado, John Flanagan escreve com maestria e nos prende a cada página. A leitura passa voando, porque sempre desejamos saber mais e mais os acontecimentos que estão por vir. Para quem não sabe, o autor começou a escrever o livro como uma história para seu filho de 12 anos, que não era grande ou forte, sobre como os garotos menos dotados de músculos podem fazer toda a diferença!

Falando sobre a edição, tenho que elogiar a publicação da Editora Fundamento. A revisão está impecável, a capa é linda e os ornamentos nas páginas deram um toque muito legal para a obra. Todas as páginas são decoradas com arabescos no mesmo tom de verde da capa, o que ficou realmente muito lindo! O melhor de tudo é que não cobram os olhos da cara por todo esse luxo no livro!!!

Ler esta história fará você refletir bastante sobre a amizade, o companheirismo, a humildade e o amor. A união dos personagens dá o colorido do enredo. Isso porque é tocante perceber os sentimentos que permeiam a obra, terminei de ler com o grande sorriso bobo no rosto! 😀

Espero que todos vocês que apreciam livros infanto-juvenis ou literatura fantástica um dia tenham a oportunidade de ler este livro! Vale muito a pena!!

Como eu disse, o livro é o primeiro de uma série, que já tem mais sete volumes publicados aqui no Brasil. São eles (por ordem): Ponte em Chamas, Terra do Gelo, Folha de Carvalho, Feiticeiro do Norte, Cerco a Macindaw, O Resgate de Erak e Reis de Clonmel. Eu quero todos!!!

Avaliação (de 1 a 5):

Sobre Bibliotecas e Trocas…

Oi pessoal! Hoje o post é sobre um tema que eu venho querendo abordar aqui no blog já faz um tempo: bibliotecas. Como bons amantes de livros que somos, é inato termos um fascínio por grandes redutos de livros. Esses lugares podem ser livrarias, sebos, feiras ou, naturalmente, bibliotecas!

Eu não sei vocês, mas eu sou atraída por qualquer vitrine, construção, praça ou outro lugar que tenha livros. Não importa muito o tipo de livros, o tipo de lugar ou as dificuldades de acesso, é praticamente música para os meus ouvidos ver grandes quantidades de obras organizadas em um mesmo espaço. 🙂

E isso é uma paixão que eu tenho desde pequena, eu sempre amei os livros, fui incentivada a ler (hoje me incentivam a não ler, para não gastar, aff) e esse incentivo foi o que me tornou uma bookaholic assumida (parabéns mãe)! Porém, quando eu era pequena, obviamente não tinha muitos recursos para comprar livros. Mas como toda viciada que se preze, eu não permiti que este pequeno obstáculo se interpusesse entre mim e meus preciosos objetos de desejo. Para isso, eu contei com a ajuda da amada biblioteca.

É uma sorte você encontrar um refúgio, um santuário dos livros, que te dê a disposição tantas obras maravilhosas e que se adequem ao seu gosto literário. Pois é, eu posso dizer que tive essa sorte. Hoje eu vou trazer para você um pouco do meu “cantinho especial” que eu frequento desde a inauguração e que sempre fará parte da minha história!

Pra quem não sabe, eu estudo na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, mais conhecida como Unisinos (ou Uni, para os íntimos). Minha história com a universidade começou desde cedo porque minha mãe se graduou e trabalha lá desde que eu era uma criança. Por este motivo, a pequena Adriana vivia de lá pra cá no campus, explorando o lugar. E quando construíram a biblioteca (o novo prédio, pois antes ela era uma biblioteca central) eu estava lá, esperando aquele grande milagre ser finalizado para poder usufruir dele. E posso dizer com firmeza, eu usufrui bastante!

A Biblioteca da Unisinos é uma das maiores da América Latina, com 32 mil metros quadrados divididos em sete andares, dos quais cinco são destinados ao acervo, que conta com 630 mil itens. Dá pra imaginar tantos livros assim juntos?! 😀 Estando lá eu me sinto como na primeira vez que fui a um parque de diversões quando era criança! *-*

Óbvio que passei grande parte do meu tempo neste lugar desde sempre, né!!! Já encontrei tantas obras magníficas, conheci grandes autores e fui apresentada ao mundo mágico de Harry Potter graças a essa biblioteca.

Eu sei que tem muita gente que não gosta de alugar livros, mas eu realmente não me importo. Isso porque se a história é boa depois vou lá e compro o livro, mas alugar é um meio fácil e muito mais acessível de ler!!

Pra quem quiser conhecer um pouco mais sobre o acervo da biblioteca, é só entrar no site da Unisinos, ou então consultar aqui o acervo para ver quais as obras disponíveis. A utilização do acervo é aberta à comunidade, porém o empréstimo de livros só pode ser feito por alunos, ex-alunos, funcionários ou qualquer pessoa ligada à instituição de alguma forma (aproveito para agradecer a minha mãezinha querida que pesquisou estas informações para mim, beijo mãe!!!).

Graças a este local tão especial dedicado ao universo literário eu pude ler diversas obras, como a coleção completa da Série Mortal, muiiitos livros de Meg Cabot, Nora Roberts, Sophie Kinsella, além de outros como os livros de Marian Keyes, Alyson Noel, Harlan Coben, Agatha Christie, e por aí vai…

O outro assunto que queria abordar aqui é o uso de sites de troca para obter novos livros. Eu já ouvi e li várias opiniões sobre esta prática. Tem gente que não gosta de se desfazer de nenhum dos seus livros, mesmo os que não gostou, já outras pessoas pensam que os livros foram feitos para circular e que não devemos “prender” eles na nossa estante. Eu não sou tão extremista, nem tanto ao céu, nem tanto ao inferno! gosto de colecionar livros e poder olhar pra eles na minha estante, organiza-los, pegar para reler, etc. Por outro lado, os livros que eu não gostei nenhum pouquinho, com os quais não me apeguei e sei que não vou mais ler, não vejo problema em trocar por outra obra que possa me divertir e trazer mais conhecimento!

E vocês, usam bibliotecas, não usam, por quê? Trocam ou não trocam? Para as trocas eu utilizo o Skoob, que é a ferramenta mais legal que eu conheço para os amantes da literatura. Já achei obras muito boas por meio dele e sempre se mostrou seguro o método de troca (e tomara que continue assim)!

Espero que tenham gostado do post e que compartilhem suas experiências com bibliotecas e trocas comigo!!!

Previous Older Entries