Emily Brontë – O Morro dos Ventos Uivantes

Esse livro é um clássico. Como tal, tinha muita curiosidade em lê-lo, pois todos nós já ouvimos falar na grande história de amor de Cathy e Heathcliff. Bom, eu nem sei por onde começar a escrever essa resenha. Isso porque eu não amei o livro, aliás, nem sei se cheguei a gostar.

A história é uma viagem, loucura total! Todos os personagens parecem não bater bem da cabeça, hehehe! Agora você deve estar pensando que eu não considerei a época em que a história foi escrita, a mensagem por trás de tanta loucura, o sofrimento que todos no livro passam e que esta é um clássico, um épico sem precedentes. Eu sei de tudo isso, mas sei também que o livro não era nada do que eu esperava e que a narrativa foi lenta, me arrastei até as últimas partes, os parágrafos eram intermináveis e os diálogos, uma série de altercações em linguagem rebuscada e de difícil compreensão.

Não me levem a mal, eu adoro clássicos. Amo Érico Veríssimo, Jane Austen e poesia de Camões. Já li muitos na minha vida e sempre os admirei. Não foi diferente com este, apenas me surpreendeu porque esperava algo totalmente diferente!

Mas vamos à trama em si. Heathcliff é um jovem mestiço, parecido com ciganos e de pele morena que foi adotado pelo pai de Cathy em uma de suas viagens. Ele vai morar com a família, e conquista a admiração do patriarca, que o mima demais. Ao longo da infância e juventude, os dois formam vínculos cada vez mais fortes de amizade. Eles são rebeldes, inconsequentes e mal criados, comportamento que se intensifica com a morte do pai de Cathy, quando seu irmão assume os cuidados com os dois. O irmão odeia Heathcliff, sempre teve ciúmes do amor do pai pelo garoto, por isso transforma sua vida em um inferno.

Mesmo passando por provações difíceis, o garoto levado aguenta tudo, jurando vingança e ficando feliz em ter a companhia da garota para fazer travessuras. Mas tudo isso muda quando um acidente de percurso em uma de suas traquinagens dá errado e, por causa disso, Cathy acaba conhecendo os filhos do sítio vizinho, que são cultos e refinados. Após passar uma temporada lá, ela volta para casa meio esnobe e causa indignação no garoto. A essa altura, os dois estão apaixonados (foi o que deu pra entender, porque isso não é deixado muito claro logo de cara) e começam a brigar feito cão e gato. Não sei qual dos dois faz mais besteira por vingança e ciúmes.

A história se desenrola com uma governanta, que cuidou durante toda a vida da menina, contando a um locatário de uma das fazendas de Heathcliff como foi que ele se tornou uma pessoa tão vil e sem coração.

Ao longo do livro, vamos descobrindo mais sobre as famílias presentes e sobre os desdobramentos que o “romance” dos dois permitiu que acontecessem. Não sei muito mais o que falar do livro. É uma história de amor de pessoas que não fizeram boas escolhas e não souberam lutar pelo amor. Se você gosta de livros clássicos, pode ser que goste da trama, mas não espere um romance maravilhoso entre duas pessoas boas e que estão apenas separados pelo destino, porque não é isso que acontece.

Só para finalizar, a minha edição é esta da imagem, da editora Lua de Papel, a capa é muito bonita, mas aquela frase: “O livro favorito de Bella e Edward” não precisava né?! Afinal, o livro é um clássico, todo mundo gosta e só porque Crepúsculo fez sucesso tem que associar o livro a série?! Não gostei, hehe!!!

Avaliação (de 1 a 5):

Anúncios

14 comentários (+add yours?)

  1. Samantha
    Ago 18, 2011 @ 09:15:00

    E se eu te disser que Morro dos Ventos Uivantes é tudo menos uma história de amor?

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Ago 18, 2011 @ 11:33:56

      Eu concordarei contigo Samantha! Justamente por isso o livro foi tudo o que eu não esperava 😛

      Beijos

      Responder

      • Samantha
        Ago 18, 2011 @ 16:50:16

        “É uma história de amor de pessoas que não fizeram boas escolhas e não souberam lutar pelo amor.”

        Desculpa, mas eu boiei quando vc disse que concordava comigo, já que eu li essa frase na sua resenha, então pensei cá com meus botões que vc achava que O morro era uma história de amor.
        Enfim, é que a mídia tornou a leitura desse livro direcionada pós- crepúsculo. Morro não é e não pode ser uma história de amor por um simples fato, nem Catarina nem Heatcliff sabem amar, simples assim.
        E a ligação com Crepúsculo é pelo fato de SM ter recriado o triângulo amoroso de o Morro no triângulo amoroso de Crepúsculo.

        Mil bjks

      • Mundo da Leitura
        Ago 18, 2011 @ 17:31:45

        Oi Samantha! É claro que eu concordei com vc sobre não ser uma história de amor, o que eu escrevi na resenha tem a ver com o fato de de não ser uma história de amor assim como as outras, até mesmo como Crepúsculo, porque de convencional a história não tem nada. E eu acho que em alguma parte dos personagens eles sabem amar de fato, principalmente o casal que surge após Cathy e Heatcliff… Mas enfim, você está certíssima em relação a mídia ter direcionado este livro para ser um pós-crepúsculo, como citei na resenha, não gostei de terem associado as duas obras. Mas enfim, eu não senti grandes aprofundamentos emocionais durante a leitura e foi mais ou menos o que quis passar na resenha.

        Beijos

  2. Gabi
    Ago 18, 2011 @ 15:48:48

    Eu começei a ler achando que seria uma história de amor também, mas quando percebi que não é fiquei meio desapontada. Mas eu até que gostei do livro. Todos os personagens são meio loucos, mas eu gostei hehe.

    A minha edição é a mesma da tua e eu achei a frase também, totalmente desnecessária. Mas marketing é marketing.

    Gabi

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Ago 18, 2011 @ 15:52:43

      Oi Gabi! Então não fui só eu que achei uma loucura? Hehehe, eu ficava o tempo todo pensando: “que gente doida”!!!
      Realmente é desnecessária, mas como vc disse, através disso eles ganharam um bom público jovem né…
      Até gostei da história, só não foi tanto por ter me iludido com a trama!

      Beijos

      Responder

  3. Rafaela Lopes
    Ago 18, 2011 @ 17:56:40

    Eu li esse livro, duas vezes e ainda não sei se gostei ou não, mas também nao acho que seja uma história de amor…

    Rafaela

    girlcliche.blogspot.com

    Responder

  4. Cristiane Flessak
    Ago 18, 2011 @ 20:34:34

    Se essa é “uma das histórias de amor mais belas de todos os tempos” como diz na capa, eu também tenho que discordar! Esse tipo louco de “amor” em que os fins justificam todos os meios também não me convencem!
    Pra mim, essa história se resume em uma palavra: obsessão.
    Mas no fim, ainda acho que vale a pena, pois é uma história forte que realmente marca na lembrança! O personagem de Heathcliff mesmo… é muito instigante!

    Já quanto a referência a Bella e Edward… isso foi realmente muito “tosco”!! rsrs

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Ago 18, 2011 @ 22:09:34

      É isso mesmo Cris. Me senti enganada pela capa, que prometia uma linda história de amor, e me deparei com um bando de loucos obsessivos!!! Também acho que vale a pena ler, isso porque a história, sendo de amor ou não, nos dá muito em que pensar 😉
      Bem, quanto a Crepúsculo, não tem nem o que falar né, hehehe!
      Beijos

      Responder

  5. Lucas Martins
    Ago 20, 2011 @ 20:53:46

    Eu tenho este livro na estante, mas ainda não li. Um dia quase pensei em pegar para ler, mas estava numa ressaca literária que não iam nem clássicos (mesmo eu amando clássicos. Gente, o que é Jane Austen?! Amo.) Bom, espero ler em breve mesmo você não tendo gostado e achado “locão”, rsrsrs. Eu concordo completamente, na questão da diagramação e edição. O livro é todo detalhado, bonito, e muito bem feito, mas agora “O livro favorito de Bella e Edward”, por favor né! É um livro clássico, que emocionou gerações, obvio, que não precisava deste apelo para vender mais.
    Enfim, adorei a resenha. Bjão, Adriana! 😀

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Ago 20, 2011 @ 22:35:25

      Oi Lucas!
      Se você estava em uma ressaca literária, era capaz de não conseguir ler… Jane Austen é demais mesmo, mas achei este um clássico de personagens meio loucos mesmo!!!
      Sim, o negócio de “o livro favorito de Bella e Edward” pegou mal, não gostei nem um pouquinho!!

      Beijos

      Responder

  6. tatiane
    Ago 22, 2011 @ 20:34:53

    Bom! posso detalhar o livro varias vezes de varias formas… e vejo em todas senão AMOR… Amor demasiado, amor verdadeiro, forte, fraco, intenso, bonito… Só quem nunca amou que não sabe o que significa! a questão de vingança é aparte, o livro é na verdade um espelho do ser humano que vive intensamente!!!

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Ago 22, 2011 @ 22:14:55

      Oi Tatiane!! Era bem esse o sentido que eu queria passar para a resenha 🙂
      Talvez eu não tenha me expressado corretamente, mas na verdade penso que o amor é que move tudo nessa história, mesmo que seja um amor distorcido, em demasia, como você colocou!
      Concordo plenamente no resto, a loucura que o livro passa é na verdade a intensidade quase exagerada das emoções dos personagens!

      Beijos

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: