Marcelo Antônio da Cunha – No Olho da Rua

No olho da rua é um relato chocante, porém verdadeiro, dobre o descaso com os moradores de rua no Brasil. O autor nos traz a sua fascinante experiência como diretor da Fazenda Modelo, um dos maiores abrigos de mendigos do mundo. Antes de mais nada tenho que agradece a minha querida mãezinha, que indicou e emprestou o livro. Se existem alguém a quem em devo toda a minha gratidão pelo amor aos livros, este alguém é ela.

Para que vocês entendam, até alguns anos atrás a prefeitura do Rio de Janeiro não permitia que os cidadãos ficassem perambulando pelas ruas. Existia um ônibus, o “cata-tralha” ou “mendigão” que passava pela cidade todos os dias recolhendo os indigentes e arrebanhando-os em um só local: uma fazenda afastada dos olhares dos turistas e de todos que não gostavam da visão da miséria em suas calçadas e semáforos.

É muito triste ler sobre tanta degradação humana, Marcelo Antônio da Cunha nos mostra a todo o momento em quanto se assemelhavam as condições daquelas pessoas com os antigos escravos. Muitas vezes pessoas com família e casa eram levadas por engano e acabavam não saindo mais do abrigo.

Em detalhes a narrativa nos leva pelas histórias de cada uma daquelas pessoas. Gente como nós, gente que sofreu muito na vida, gente que foi abusada de todas as formas possíveis, acabando por se esquecer do que é ser gente.

Se você não gosta da realidade nua e crua e não quer se sentir como se tivesse levado uma bofetada na cara não leia. Isso porque não tem como não se sentir culpado depois de ler, pensando em como somos omissos com estes seres humanos, iguaizinhos a nós, que foram e continuarão sendo ignorados pela sociedade.

É claro que existem os “boa vida”, os que não querem trabalhar, e o autor fala muito sobre eles também. Mas o questionamento principal é como puderam deixar uma situação tão inumana quanto a da Fazenda Modelo ir tão longe.

A capacidade do autor de conviver e tentar saber mais sobre os homens e mulheres de rua também me espantou. Ao assumir o cargo de diretor ele se propôs, de verdade, a acabar com aquele lugar. O objetivo era que as pessoas, mesmo sem ter um teto, pudessem ao menos ter a única coisa que ainda lhes restava nesta vida tão pobre e singela: a liberdade.

Este foi um livro difícil de ler por todos estes aspectos, mas também muito tocante e elucidativo. Existiam tantas coisas sobre este mundo dos mendigos que eu nem imaginava e aprendi com esta obra. Acho que esta é a maior vitória que No Olho da Rua pode ter, levar para o resto da população um pouco que seja de conhecimento sobre estas pessoas que vivem apenas no anonimato.

Avaliação (de 1 a 5):

12 comentários (+add yours?)

  1. Camila - Leitora Compulsiva
    Out 13, 2011 @ 23:36:34

    Oi Adri,
    Como advogada, vejo relatos terríveis sobre a miséria humana.
    Por isso, quando chego em casa, preciso de uma leitura que afaste minha mente de tudo o que vejo diariamente!
    Acho que por isso não posso nem pensar em colocar um livro desse na minha lista! rs…
    beijos
    Camis

    Responder

  2. Bernadete
    Out 14, 2011 @ 13:57:14

    Oi filha,
    Tenho muito orgulho por gostares tanto de ler e como a leitura te levou a escrever bem, sim eu acho que tu escreves muito bem!
    Mas falando do livro, além das histórias daquelas pessoas, o que mais me impressionou é a proximidade entre uma pessoa ser um cidadão, com seus direitos e suas obrigações e ser um indigente, como é fácil passar essa “linha invisível” e se acostumar com este “outro lado”. Uma hora tu és alguém, daqui a pouco não é mais nada…… E como tu dizes, o livro faz pensar sobre a realidade destas pessoas que vivem a margem da sociedade!
    Beijos minha linda, meu orgulho, te amo muito!

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Out 15, 2011 @ 16:54:40

      Oi mãe!!!
      Você sabe que eu é que tenho o maior orgulho de ter uma mãe tão batalhadora, que me ensinou todos os bons valores e o amor pela leitura🙂
      O livro foi um belo aprendizado, e como você bem colocou, fiquei muito assustada com a proximidade que cada um tem com este mundo. Nunca tinha pensado nisso antes, mas o autor nos faz refletir bastante sobre isso. Espero mais indicações futuras suas ;P

      Beijos

      Responder

  3. Francisco de Souza (@O_Jornalista)
    Out 14, 2011 @ 17:51:53

    Oi Adri.
    Só de pensar no quanto o nosso país é rico por natureza e essa riqueza é distribuída de forma tão desigual. Chega a dar revolta. Concordo contigo quando você diz que o livro é uma bofetada na cara. É impossível não se sentir culpado com a passividade do nosso povo enquanto uma verdadeira farra é feita em Brasília com o dinheiro dos nossos (mais caros do mundo) Impostos.
    Será que um dia isso vai mudar?
    Beijo e Parabéns pelo texto.

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Out 14, 2011 @ 21:33:06

      Oi Francisco!
      É mesmo para se revoltar a situação do país e das pessoas em relação a esse tema.
      Também me pergunto se um dia irá mudar, espero sinceramente, pelo nosso bem, que sim!!!

      Beijos

      Responder

  4. Gabi
    Out 14, 2011 @ 20:51:52

    Oi

    Não é meu tipo favorito de leitura, mas é algo muito triste isso que acontece. Eu realmente, não me conformo com tudo isso. É impossível alguem ver isso e ficar de bem. É impossível se conformar com coisas assim.

    Gabi

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Out 14, 2011 @ 21:30:32

      Oi Gabi!
      Pois é, muito triste ler algo assim por causa disso, não dá pra continuar vivendo nossa vidinha do mesmo jeito sabendo de tantas coisas tristes acontecendo com seres humanos bem ao nosso lado…

      Beijos

      Responder

  5. Lucas Martins
    Out 14, 2011 @ 20:57:11

    Estava esperando muito por essa resenha, pois não conhecia o livro e quando você comentou dele no Volta ao mundo em 7 dias, fiquei muito curioso!!! Quero lê-lo e ver um pouco mais dessa polêmica. Gosto muito de temas fortes assim, adorei!
    Ótima resenha e bjão!

    Responder

  6. Claudia
    Out 20, 2011 @ 19:40:48

    Oi Adriana!

    As vezes eu também pego um desses com tema pesado, é difícil mas acrescenta muito né, um deles foi o Muito longe de casa – sobre os garotos-soldados na Africa – me marcou. Fiquei curiosa para ler esse que você apresentou por ser Brasileiro e pelo tema, acho que não sei quase nada sobre essas pessoas.

    Bjus

    Responder

    • Mundo da Leitura
      Out 21, 2011 @ 09:07:58

      Oi Cláudia!
      Eu gosto bastante de livros com estes temas, é sempre bom conferir um pouco mais de realidade, para aliviar tanto sobrenatural =P
      E mais legal ainda é poder ler livros assim brasileiros🙂

      Beijos

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: