Michael Grant – Gone: O Mundo Termina Aqui

Wow, livro pesado à vista! Atenção, se você não tem estômago forte e não aguenta cenas tensas, esquece, não precisa nem ler a resenha porque esse livro não é para você!!!

Gone retrata um mundo quase apocalíptico onde todos com mais de quinze anos fazem puf em um belo dia e desaparecem! Do nada você está na sala de aula ouvindo a lenga-lenga do professor, e no outro ele desaparece no ar, faz puf e some!

Essa é a realidade dos habitantes de Praia Perdida, que agora se vêem sozinhos, tendo que cuidar das crianças mais novas e tentar sobreviver ao caos que se instala. Sam, Astrid e Link são colegas que se unem para, num primeiro momento, achar o irmão da garota que é autista e está desaparecido. O Pequeno Pete é uma criança que não pode ficar sozinha por muito tempo e eles resolvem sair à caça do garoto.

Graças a essa busca eles descobrem que existe uma barreia cercando uma extensão de 32km em volta da Usina Nuclear de Praia Perdida e que a cidade está isolada por causa desta barreira. Com isso, os valentões do colégio, além de darem o nome LGAR à esta área onde estão presos, também se sentem no direito de tomar conta do pedaço.

Mas se vocês estão achando que isso significa que o livro é infanto-juvenil, estão muito enganados. O autor trabalha muito as reações psicológicas pelas quais os humanos mesmo que ainda crianças passam ao enfrentar uma situação de extrema dificuldade. Surgem os violentos, a tortura e a morte.

Isso até ficou meio irreal na trama, porque é difícil visualizar crianças de 12 ou 13 anos tão cruéis, assassinando a sangue frio e ainda fazendo coisas bem piores. Michael Grant não poupa descrições sangrentas de acidentes, detalhes que você nem imaginava que poderiam existir e que, definitivamente, não precisa saber.

O livro é muito bom na medida que trás um tema novo, no estilo Lost, onde os personagens devem procurar pistas e sempre vão surgindo mistérios a ser desvendados. Além disso, como citei antes, o trabalho psicológico que podemos ver na trama é surpreendente, eu ficava me perguntando toda hora: como seria se isso acontecesse comigo? Como seriam as reações dos outros, será que ficariam assim?

Algumas respostas são dadas ao longo das mais de 500 páginas e outras só teremos na continuação: Fome. Mas garanto que o final é bastante satisfatório. Digo satisfatório no sentido de respostas, mas não no sentido de concordância com o resto do livro. Achei muito besta da parte de Sam deixar as coisas como ficaram. Realmente é forçar a barra dar o final que o autor deu, e só por isso o livro perdeu uma estrela.

Mesmo assim, recomendo o livro: é uma ótima dica de YA book. Porém, só leia se realmente tiver entendido o que eu disse no primeiro parágrafo: o livro não é pra qualquer um!

Sobre a série: Gone já possui quatro livros lançados no exterior e mais dois a caminho. No Brasil, temos apenas Fome, o segundo volume, lançado. Os próximos serão Lies e Plague. Fear, o quinto livro, tem lançamento previsto para abril deste ano nos EUA e o título provisório do sexto livro é Light.

Avaliação (de 1 a 5):