Divulgado o trailer oficial do filme The Hunger Games

Pois é pessoal, para quem ainda não viu, ontem foi divulgado no Good Morning America o trailer oficial do filme The Hunger Games, obra baseada no best seller MAGNÍFICO de Suzanne Collins, Jogos Vorazes! Vocês já sabem o quanto eu amei esta saga, e se não sabem podem conferir nas minhas resenhas de Em Chamas e A Esperança. O trailer ficou maravilhoso, divino e de arrepiar, me emocionei muito olhando! Aliás, meu namorado não aguenta mais me ver repetindo o vídeo de 5 em 5 minutos!!! Para vocês: The Hunger Games!

 

Contagem regressiva para março de 2012!!!

Pittacus Lore – Eu sou o número quatro

Diferente e ao mesmo tempo um clichê, tenho que confessar que adorei ler este YA book sobre aliens. Eu sou o número quatro é o primeiro volume de uma série chamada Os Legados de Lorien. O autor tem uma narrativa fluida, de fácil compreensão e bem gostosa de se ler. A capa não me agradou, gostaria que tivesse feito uma somente para o livro. Estas capas de filmes não são muito legais na maioria dos casos. Mas durante toda a leitura me peguei imaginando como os acontecimentos seriam em um filme, acho que esta obra foi feita para ir às telonas. Muitas cenas de ação e luta no final, romance e suspense durante todo o decorrer da história.

Quatro é um alienigena que nasceu no planeta Lorien, somente um dos vários planetas habitados no universo. Este lugar já existe há 25 mil anos e passou por algo muito semelhante ao que a Terra hoje passa, extinção dos recursos naturais. Porém os habitantes se mobilizaram antes do derradeiro fim e conseguiram salvar Lorien, que se desenvolveu plenamente. Mas o planeta habitado mais próximo, Mogadore, não foi tão consciente e extraiu tudo de bom que sua terra tinha. Antes da destruição, eles partem para Lorien com o plano de se apoderar de todas as riquezas naturais de lá. Assim, quando Quatro ainda era criança, foi levado junto com outras 8 crianças em uma nave para a Terra. Tudo que ele se lembra são fragmentos de luta, terror e morte em seu planeta de origem.

Para sobreviver na Terra e fugir dos Mogadorianos, é lançado um feitiço nas crianças. É uma proteção complexa, que faz com que só possam ser mortos na ordem de seus números. E após a morte do número Três, o garoto sabe que é o próximo, afinal ele é o número Quatro. Ele tem vivido em fuga, nunca permanecendo por mais de  nove meses no mesmo local. Mas ao se mudar para Ohio e assumir a identidade de John Smith, tudo que ele deseja é sossego. Lá ele conhece Sam, um garoto aficcionado por teorias de conspiração alienígena e Sarah, uma linda garota que é tudo que Quatro sempre sonhou. Viver uma paixão é algo novo e também muito arriscado, pois a qualquer momento ele poderá partir sem pode nem se despedir.

Assim se desenrolam as aventuras deste garoto, lutando, sobrevivendo e tendo esperança de um dia poder voltar e repovoar a sua terra. A descrição que temos de Lorien é linda e muito detalhada, adorei este universo fantástico e paralelo criado pelo autor. Os sentimentos de Quatro também são notáveis, e vão aflorando no decorrer da trama.

É um livro que tanto homens quanto mulheres podem gostar. Tem tudo que eu gosto em um YA book sobrenatural e foi uma experiência muito agradável ler uma obra de um tema que até então só tinha visto nos cinemas. O final deixa muitas coisas em aberto e estou ansiosa pelo segundo volume da série The Power of Six, que ainda não foi lançado. Espero que não demore!!!

Avaliação (de 1 a 5):

Paula Pimenta – Fazendo meu Filme 3: O roteiro inesperado de Fani

Fazendo meu filme 3 é divino! Sei que pode soar como blasfêmia, mas acredito na intervenção de Deus nesse caso. Afinal tudo que está aqui foi criado por Ele, não é?! E FMF me faz tão bem, faz bem a tanta gente na verdade, que só pode ser algo colocado aqui por uma razão maior. Tá, pode estar soando exagerado e tal, mas os livros são para muitas pessoas (entre elas esta que vos fala) um presente, uma dádiva, algo que te faz sorrir quando nada mais faz e muitas vezes uma fuga do mundo real! Os livros são para mim fonte de inspiração e de vida, são mais que um passatempo. Pode parecer brincadeira, mas boa parte da minha motivação para ir trabalhar de manhã cedinho (mesmo nestas manhãs geladas aqui do meu Rio Grande) é saber que isto me possibilitará adquirir mais e mais obras. E Fazendo meu Filme retrata tão bem, de forma tão linda e cativante, os anseios, medos, dúvidas, apegos de gente que assim como eu está naquela fase conturbada e transitória onde saímos definitivamente da infância e partimos para o mundo adulto.

Fani é uma personagem maravilhosa, acredito que todos que leiam consigam se identificar com ela. Paula Pimenta tem em sua escrita um quê de magia, um algo mais, algo que a possibilita se destacar entre tantas páginas novas que aparecem a cada dia no mercado literário. O enredo é de fácil compreensão, mas nem por isso acho que os dramas abordados sejam menos importantes. Afinal, quem nunca sonhou com um grande amor? Quem nunca sofreu decepções, desencontros, se apaixonou e acabou triste por isso? É impossível fazer uma resenha para este livro sem tornar isto pessoal porque esta é a relação que Paula consegue passar para o leitor, a de que você está ali vivendo tudo junto com a personagem. E este é, para mim, o grande diferencial da trama.

Se você ainda não leu os dois primeiros livros da série, POR FAVOR corra para livraria e compre hoje mesmo (e leia as resenhas que eu fiz para o blog aquiaqui). É sério, além de contribuir para a literatura nacional você ganhará lágrimas, sorrisos e toda felicidade que é possível se ter ao ler uma boa história de amor, amizade, encontros e desencontros. Falando neles, vocês devem ter reparado que os citei bastante. E isto tem um motivo. Neste terceiro livro, Fani volta para o Brasil depois de seu ano na Inglaterra. Porém ela logo percebe que obviamente o mundo não parou só porque ela estava longe e tudo está diferente em casa. A readaptação não é fácil, mas agora ela tem o Leo (ahhhhhhhhhh o Leo *-*), que apesar de se comportar de forma estranha nos primeiros dias de sua chegada, continua fofo, lindo e perfeito como sempre.

Mas como nada na vida são flores e Paula Pimenta sabiamente descreveu isto no livro, Leo tem um ciúmes possessivo de Fani e o ex-namorado gato-astro-de-hollywood anda à espreita atrapalhando a vida dos dois. Várias confusões e muitas lágrimas rolam neste volume. O final não é feliz, mas é realista. E não posso deixar de afirmar o quanto tenho grandes expectativas em cima do último livro da série que será lançado no fim deste ano (contando as horas aqui)! Mas sem pressão hein Paula, hehehe 😛

É claro que o drama amoroso de Fani não é tudo que há neste livro tão espetacular. Natália e Alberto DEFINITIVAMENTE roubaram a cena em diversos momentos em que eu chorei de tanto rir. Os e-mails trocados entre eles são TUDO e mais um pouco, sem palavras para descrever. Ana Elisa também teve destaque, choquei com tudo que aconteceu com ela (morram de curiosidade). A Gabi amadureceu muito neste volume, me encantei com ela! E não foi só ela que cresceu não, nossa protagonista está virando uma mulher adulta e foi ótimo poder acompanhar tudo assim de pertinho. Posso falar de todos eles com a intimidade de uma velha amiga, pois é assim que me sinto com relação a tudo ligado a Fazendo meu Filme.

Já deu pra perceber que eu não só recomendo, como exijo que você leia esta coleção inteirinha né?! E se depois você não gostar, me avisa porque te dou o telefone de algumas clínicas onde você pode se internar, hehehehe 😛

É por termos escritores tão bons assim em nossa terra que ainda acredito na literatura brasileira. Só não entendo como podem nos traumatizar com clássicos deprimentes na escola quando vemos tanta coisa boa nas livrarias por aí!!! Se ainda estivesse na escola, com certeza faria uma campanha para levar Paula Pimenta até ela (fica a dica) e queria muito que ela viesse fazer eventos aqui em Porto Alegre (que sonho, seria DEMAIS). Mas como sonhar não é pecado e não custa nada, quem sabe eu não vá até o Rio de Janeiro na Bienal e compre em primeira mão o livro da nova série que ela irá lançar?! Cruzem os dedos por mim!

Avaliação (de 1 a 5):

Paula Pimenta – Fazendo meu filme

Oi pessoal! A resenha de hoje é muito especial pois se trata de um livro brasileiro e que foi um dos melhores que eu já li do gênero!!! Fazendo meu Filme 1: A estreia de Fani é um livro sensacional, escrito por Paula Pimenta (que já considero uma gênia da escrita só por este primeiro livro)!

A trama gira em torno de Fani, uma adolescente de 16 anos que mora em Belo Horizonte e é simplesmente apaixonada por filmes. Tenho que dizer que AMEI as citações de filmes (todos maravilhosos) no início de cada capítulo. Tem livros que tem citações muito chatas ou nada a ver com a história, mas essas foram perfeitas (eu geralmente as pulo mas neste eu li todas). A lista de filmes da vida de Fani (que está no prólogo) também me agradou muito, já vi quase todos e me identifico muito. E agora por causa do livro vou procurar os que ainda não olhei e torrar um bom dinheiro na locadora!

Bem, voltando à história, Fani tem uma vida social bem agitadinha, embora prefira ficar em casa com seus DVDs como ela mesma diz logo no primeiro capítulo. Me encantei com todos os personagens, os pais de Fani (com ressalvas à mãe dela que não entende que ela NÃO VAI prestar vestibular para Direito), as amigas Natália e Gabi (as duas são tão fofas e dão tanta força para a Fani, todo mundo deveria ter amigas assim) apesar de elas terem seus defeitinhos também né, e claro, o Leo, que garoto fofo, querido e inteligente. Leo é o pretendente perfeito para uma garota como Fani, mas ela só tem olhos para o professor de Biologia dela.

No meio de muitas confusões Fani vai fazendo descobertas e amadurecendo bastante. Os sentimentos dela são bem confusos como os de toda adolescente e às vezes ela não consegue enxergar o que está bem diante dos seus olhos. Senti pena do Leo e raiva dele em alguns momentos (na verdade senti isso por quase todos os personagens). Me identifiquei demais com a Fani porque tudo que ela sente pelos seus filmes, todo o amor e carinho é o que sinto pelos meus livros (adorei a parte em que ela diz que não empresta porque senão teria que ligar de cinco em cinco minutos para ver se o filme estava bem, é exatamente como me sinto quando empresto um livro).

Foi simplesmente fantástico poder se identificar tanto com uma mocinha de livro, que lê Veja e Caras (e a “Caprichosa”) como todas nós. A autora cita em vários momentos programas, músicas e outras coisas brasileiras que geralmente não conseguimos acompanhar em livros estrangeiros. Passei muito tempo lendo resenhas sobre como esse livro era ÓTIMO e vendo uma avaliação excelente no Skoob mas ainda assim ficava com o pé atrás com este livro. Acho que aqui no Brasil ainda temos essa mania de querer menosprezar nossa cultura, o que é nosso. Ainda bem que depois de um tempo vendo essa capa maravilhosa em todas as livrarias que ia decidi comprar e só me arrependo de não ter feito isso antes (bem feito pra mim, quem mandou ser preconceituosa). O livro é divino, a escrita de Paula Pimenta é nota dez e a trama que ela criou é perfeita.  Não deixa nada a desejar para os livros lá de fora, alias é muito melhor que muitos deles!

Recomendadíssimo com toda certeza, entrou pra minha galeria de favoritos e usando os critérios de avaliação da própria Fani dou 5 estrelinhas para Fazendo meu Filme!

Avaliação (de 1 a 5):