Richelle Mead – O Beijo das Sombras

Eu sou muito apaixonada por Vampire Academy e, por isso, demorei tanto para escrever as resenhas dos seis volumes que compõe a saga. Toda vez que sento na frente do computador e começo a escrever me faltam palavras para explicar o amor que tenho por estes livros da Tia Richelle! E parece tão difícil por no papel ou tela, no caso toda a complexa trama criada pela autora, que descreve minuciosamente uma sociedade nova e rica em detalhes sobre estes seres sobrenaturais fascinantes que são os vampiros.

Explicar VA seria mais ou menos com tentar explicar Harry Potter, um mundo totalmente novo e cheio de ação. Porém, esta série é muito mais adulta do que HP e, logicamente, não tão maravilhosa, fantástica e perfeita (por mais que eu adore de verdade VA, Harry Potter é sempre o amor maior no meu coração ).

Mas chega de divagação e vamos à história. No primeiro volume, o qual eu me recuso a chamar de O Beijo das Sombras pelo resto dessa resenha, somos apresentados à Academia de Vampiros St. Vladimir e ao universo dos Moroi, Strigoi e Dhampirs ou dampiros, na tradução.

Os Strigoi são vampiros mortos, sem alma e sem magia, que se alimentam de sangue humano matando suas presas. A alegria da “vida” deles é destruir os Moroi, portanto podemos concluir logo de cara que eles são os vilões da história. Os Moroi são o oposto dos Strigoi, são vampiros vivos, que tem uma alma e por isso podem fazer magia e se alimentam de sangue humano sem matar (usando, para este fim, os fornecedores: humanos que se oferecem para doar sangue, pois a mordida de um vampiro é viciante e causa muito prazer).

Por fim, os protagonistas da história, que inacreditavelmente não são vampiros: os dhampirs. Um dhampir é fruto do relacionamento de um Moroi com um humano. Podem ser descritos, literalmente, como meio-vampiros, sendo humanos, mas com força e habilidades fora do comum.

Há muitos anos é travada uma guerra entre Moroi e Strigoi, e com a matança da raça de vampiros mágicos os únicos que poderiam criar novos dhampirs surgiu a necessidade de uma aliança entre Moroi e meio-vampiros. Assim surgiram os Guardiões e a tradição de que todos os dhampirs seriam educados e treinados para proteger a raça Moroi.

E é neste contexto que eu abreviei ao máximo que conhecemos Rose Hathaway, uma dhampir, e Lissa Dragomir, uma princesa Moroi, que fugiram da Academia e foram se aventurar pelo mundo a fora. Durante dois anos elas conseguiram se esconder, mas o livro começa quando são capturadas por um Guardião dhampir lindo, sexy, charmoso, perigoso e tuuudo de bom chamado Dimitri e levadas de volta para St. Vladimir.

Rose foi treinada a vida toda sabendo que seria a Guardiã de Lissa. Por isso, a vida da amiga sempre estará em primeiro lugar e ela deve abrir mão de qualquer desejo em prol do trabalho de protegê-la dos Strigoi.

As duas compartilham um laço mágico muito importante e raro, Rose pode entrar na mente de Lisa e ver o que a outra vê, sentir o que ela sente, mas sem interferir.

Quando voltam para St. Vladimir, todos acreditam que a fuga foi uma inconsequência da juventude, mas não é bem assim. Existem mistérios envolvendo a magia dos Moroi que colocam Lissa e Rose, consequentemente em grande perigo.

Para apimentar um pouco as coisas, Richelle inseriu na trama o Guardião mais perfeito e desejável do universo. Dimitri Belikov é o responsável pela guarda de Lisa até que Rose se forme e também é o responsável pelo treinamento da dhampir. A química entre os dois é inegável, e mesmo com a grande diferença de idade e hierarquia, chovem faíscas nos breves contatos que eles têm.

O que posso dizer sobre Dimitri: ele é minha maior paixão literária, ele é um cara tudo de bom, ele é certinho demais, ele é PERFEITO *-* E Rose não fica nem um pouco para trás! Quando conheci Katniss Everdeen, só posso dizer que ela muito me lembrou Rose, as duas são duronas, cabeça-dura e não tem nada daquelas protagonistas bobinhas e manhosas! Quando Rose Hathaway quer uma coisa, ela vai atrás 🙂

O ritmo da narrativa, as emoções, mistérios, surpresas e reviravoltas fazem deste livro um must read. Para quem já leu a série, não deve achar este um dos volumes mais legais, e não é mesmo. Mas para chegar aos outros é necessário haver toda a introdução que Richelle fez em Academia de Vampiros.

Sem sombra de dúvidas esta é uma série de livros que eu recomendo de olhos fechados. São livros para ler e reler várias vezes, apreciando cada vez mais a mitologia incrível que a autora colocou nas obras.

Para quem não conhece toda a série, os títulos já publicados aqui no Brasil são:

  • O Beijo das Sombras (Vampire Academy)
  • Aura Negra (Frostbite)
  • Tocada pelas Sombras (Shadow Kiss)
  • Promessa de Sangue (Blood Promise)

E a série conta com mais dois volumes (ambos lançados em 2010) que eu já li o/:

  • Spirit Bound
  • Last Sacrifice

Leiam e se deliciem com esta história, sexy, divertida, emocionante e empolgante!

Avaliação (de 1 a 5):

Anúncios

Rick Riordan – Série Percy Jackson e os Olimpianos

Percy Jackson e os Olimpianos é uma série infanto-juvenil escrita por Rick Riordan que alcançou o topo das maiores listas de best-sellers em todo o mundo. O primeiro volume chegou, inclusive, a ser adaptado para o cinema e mesmo que tenha ficado uma m* vale a pena citar aqui.

Acabei de ler o quinto e último livro e como não tinha resenhado os primeiros volumes, decidi fazer este post da série inteira, até porque esta é uma história imprescindível na lista de todo bookaholic fã de YA’s que se preze.

A trama conta a história de Percy, um menino que descobre aos doze anos ser filho de um dos deuses mais importantes do Olimpo. Desde criança ele foi atormentado por acidentes e ocorrências no mínimo estranhas. E, ao ser abordado por estranhos seres, ele acaba descobrindo que é um meio-sangue e que por isso foi caçados por monstros a vida toda. Agora ele necessita se refugiar no Acampamento Meio-Sangue, onde irá aprender a lutar contra estes monstros e se envolver nas inúmeras batalhas que afligem todos os olimpianos.

Cada um dos livros narra uma aventura de Percy, que busca destruir o Titã Cronos, grande vilão da história. Neste meio tempo Rick Riordan nos presenteia com uma narrativa recheada de mitologia grega, ação, tiradas sarcásticas incríveis e aventuras de tirar o fôlego.

Um dos principais motivos para esta não ser A SÉRIE mais perfeita de todos os tempos é o modelo pronto de Harry Potter que o autor usou. Não que este clichê não tivesse sido usado antes de HP e nem é o caso de eu estar enjoada. Mas a questão é que, às vezes, a história se tornava muito batida ou até mesmo cansativa. O terceiro volume foi um dois que menos tive vontade de seguir até o fim. Mas mesmo assim, eu amei conhecer Percy, Annabeth, Grover, Tyson e tantos outros seres fantásticos, super bem retratados nas mãos do autor.

Rick Riordan mostrou com esta série que seu talento para o infanto-juvenil merece prêmios e muitos vivas, com certeza acompanharei seu trabalho de perto.

A boa notícia é que, além de O Ladrão de Raios, O Mar de Monstros, A Maldição do Titã, A Batalha do Labirinto e O Último Olimpiano, que formam a série completa, o autor está escrevendo um spin-off, série ambientada no mesmo mundo fictício da anterior, mas com outros protagonistas. O primeiro volume desta nova série, O Herói Perdido, já foi lançado aqui no Brasil e eu estou louca para ler. Outra série que Rick está escrevendo é As Crônicas dos Kane, cujo primeiro volume é A Pirâmide Vermelha que eu tenho, mas está emprestado e ainda não li e o segundo, O Trono de Fogo, acaba de ser lançado também pela Editora Intrínseca.

Com certeza estes livros citados no post estão mais do que recomendados, acho que todo jovem um dia deveria ler, para aprender todas as maravilhas do mundo mitológico que Tio Rick nos ensina tão bem!

Avaliação (de 1 a 5):

Gena Showalter – Série Senhores do Mundo Subterrâneo

Uma das minhas séries adultas preferidas! Simplesmente amo a escrita de Gena Showalter! Sério, essa mulher escreve bem demais. E, incrivelmente, consegue unir vários gêneros e estilos que amo, compondo uma trama deliciosa.

Senhores do Mundo Subterrâneo é uma série com mitologia fortíssima! Eu adoro mitologia grega e a acompanho de perto em várias obras, sendo a mais famosa Percy Jackson e os Olimpianos, que eu nunca acreditaria que tem algo parecido com esses livros tão adultos.

A história começou com 12 guerreiros que abriram a caixa de pandora, liberando os demônios que a continham. Como punição por este ato, os deuses do olimpo decidiram que o corpo de cada um destes soldados abrigaria um destes demônios. Assim, cada homem recebeu dentro de si um deles: Violência, Raiva, Luxúria, Morte, Ira, Dor, Dúvida, Desconfiança, Doença e muitos outros.

Durante muito tempo eles assombraram o mundo, levando destruição por onde passavam. Mas o tempo se encarregou de lhes dar parcimônia e controle, e eles aprenderam a conviver com os humanos e apenas buscar paz em suas vidas carregadas de sofrimento causado pelos demônios.

Porém, um grupo de humanos fanáticos, intitulados Caçadores, buscou desde os primórdios destruir estes guerreiros, acreditando que assim libertariam o mundo do mal. Acontece que não adiantava simplesmente destruir o corpo, porque assim o demônio seria livre para circular pelo mundo. Para acabar com eles, somente aprisionando-os novamente na caixa de pandora, há muito tempo perdida. O que levaria a morte dos guerreiros, logicamente.

E é neste contexto que Gena inicia brilhantemente a série, que tem em cada volume um Senhor como protagonista. A Noite Mais Sombria começa a história com Maddox, guardião da violência. Ele sempre foi atormentado por este demônio, entretanto sua vida ficou pior depois de ser amaldiçoado e morrer toda noite, revivendo pela manhã. Só que isto está prestes a mudar quando entra em cena Ashlyn, uma humana com poderes sobrenaturais, que chega para balançar o coração deste doce guerreiro.

O Beijo Mais Sombrio nos traz a história de Lucien, guardião da morte. Ele está fadado a viver a vida levando as almas ao céu ou inferno. Mas com a presença de Anya, a deusa da anarquia, ele está prestes a testar seus limites! Um dos volumes que eu mais gostei, pois a Anya rouba a cena total. Ela é uma das minhas personagens favoritas, super engraçada!!!

O Prazer Mais Sombrio conta a história de Reyes, guardião da Dor, que precisa se machucar constantemente para continuar vivo. Ele conhece novas formas de se satisfazer nos braços de Danika, uma humana pra lá de especial, que se torna muito importante na trama fica a dica!

O Sussurro Mais Sombrio, último volume que eu li, conta a história de Sabin, guardião da dúvida, e Gwen, uma harpia poderosa. Amei a introdução de novos seres na trama, que evoliu a cada volume! Este livro me lembrou ainda mais a série Irmandade da Adaga Negra, que tem tudo a ver com estes guerreiros, simplesmente não consigo me decidir entre uma das duas. 😛

Me surpreendo cada dia mais com estes livros, porque nunca imagino que possa ficar melhor, aí vem a titia Gena e sempre dá um jeito!!! Recomendo totalmente, mas já aviso: é viciante, você vai querer mais e mais! Estou com A Paixão Mais Sombria aqui em casa para ler, e em breve vocês verão outra resenha por aqui!

Também não posso deixar de elogiar as capas e as edições DIVINAS que a Harlequin está fazendo, vê-los tão lindinhos lado a lado me dá tanto orgulho! *-* Leiam e se encantem!

Avaliação (de 1 a 5):

Richelle Mead – Filha da Tempestade

Hello people! Hoje a resenha é sobre o livro de uma das minhas autoras favoritas. Richelle Mead, juntamente com Meg Cabot, Sophie Kinsella, Diana Gabaldon, Nora Roberts, J. K. Howling, Paula Pimenta, Carina Rissi e, mais recentemente, Maria V. Snyder, figura entre minhas escritoras preferidas! Para quem não sabe (o que eu acho meio difícil) ela é a autora da série Vampire Academy, possivelmente a melhor série YA sobrenatural da década!!! Porém, muito mais do que isso, Richelle se dedica a criar todos os tipos de estórias sobrenaturais, para todos os públicos. Eu a amo escrevendo infanto-juvenis e a amo escrevendo para adultos. Para vocês terem uma noção do meu amor pelas obras dela, acessem aqui o post sobre os livros da minha vida (entre os quais falo sobre VA) e aqui a resenha que fiz sobre a série Succubus, outra maravilha criada por esta ruiva!!!

Bem, mas a trama de hoje é bem diferente destas que eu citei. O livro Filha da Tempestade fala sobre uma xamã, capaz de lidar com espíritos, demônios e tantas outras criaturas do Outro Mundo. O nome desta xamã em especial é Eugenie Markham, também conhecida no seu ramo profissional como Odile Cisne Negro (Dark Sawn = Cisne Negro, captaram?!). Ela foi treinada desde pequena por seu padrasto para combater as criaturas do mal que invadem este mundo, e vive desta profissão.

Mas existem muitos segredos por trás de sua origens, coisas que tanto seu padrasto (que é como um pai para ela) quanto sua mãe esconderam durante toda vida.

Porém, ao aceitar um difícil caso envolvendo uma menina sequestrada por um Nobre do Outro Mundo, ela vai se ver presa em uma intrincada trama envolvendo seu verdadeiro pai e muitos outros personagens daquele mundo que ela tanto despreza.

Nesta aventura Eugenie conhece Kiyo e Dorian, homens extremamente diferentes, mas que compõem um ótimo triângulo amoroso com a moça. Eu sou total e assumidamente Team Dorian, afinal quem iria preferir um musculoso veterinário a um poderoso, lindo, gostoso e refinado rei???

Os pontos negativos da obra ficaram por conta da revisão pouco cuidadosa da editora (não sei se foi porque ainda não tinha me ligado totalmente na história, mas só encontrei erros de concordância e coesão no início da obra), e a falta de maiores explicações sobre o Outro Mundo logo no começo da narrativa. Porém, não foi nada que tirasse o brilho de uma obra escrita tão bem por alguém tão talentoso quanto Richelle Mead! Eu amei o início da série e pretendo acompanhar de pertinho os próximos lançamentos desta saga, que já conta com mais dois volumes (intitulados Thorn Queen e Iron Crowned) no exterior e um quarto volume que tem previsão de lançamento para janeiro de 2012 e se chamará Shadow Heir (informações do site da autora).

A capa brasileira manteve a imagem original, o que eu gostei bastante. Espero que as próximas continuem assim. Não sei se vocês já perceberam, mas é uma espécie de padrão que as capas dos livros dessa autora sejam mantidas originais nas edições brasileiras… Enfim, por hoje era isso! Recomendo muito o livro, que traz um enredo rico em mitologia, sobrenatural, romance, muitas cenas hot e tudo mais que eu amo neste gênero literário!!!

Avaliação (de 1 a 5):

P. C. Cast – Deusa do Mar

Deusa do Mar, romance da escritora P. C. Cast (famosa pela série escrita em parceria com sua filha Kirsten Cast, House of Night) é o segundo livro que eu leio sobre sereias. Posso afirmar com sinceridade que gostei muito deste tema e que as histórias são muito boas. Esta obra também tem seus méritos, apesar de algumas inconsistências e fraqueza da narrativa de Cast em alguns momentos.

Christine Canady é uma sargento das Forças Aéreas dos Estados Unidos que, na noite de seu aniversário resolve fazer um ritual para pedir à deusa Gaia magia em sua vida. (Na verdade as inconsistências já começam por ai, pois achei muito forçado uma mulher como ela fazer este tipo de ritual mágico assim, do nada).

Ela acaba sofrendo um acidente de avião no dia seguinte e cai no mar, onde encontra uma sereia chamada Ondina que se oferece para trocar de corpo com Chris. Ela aceita e se transforma naquela linda sereia, porém havia um forte motivo para Ondina querer trocar de lugar com ela: Sarpedon. Este tritão é meio-irmão da sereia e deseja a irmã ardentemente, fazendo de tudo para possuí-la. Logo que Chris passa pela transformação é atacada por ele. A moça consegue fugir, mas sabe que está em perigo no mar. Por isso, com ajuda da deusa Gaia ela se refugia em terra como humana. Acontece que ela sente saudades de Dylan o tritão sexy que a salvou enquanto ainda era uma sereia. Agora tudo que ela mais deseja é voltar para o mar e para os braços de seu amor.

O livro não foi dos melhores que eu já li pelas incoerências que se apresentam (como o fato de Ondina na verdade ser uma interesseira, pois sabia que Chris corria perigo mas em nenhum momento alguém fala sobre isso, ou o fato de que não sabemos o que aconteceu com o corpo de Chris que Ondina estava usando e no final os acontecimentos ficam totalmente sem pé nem cabeça graças a isso). Mas no geral achei uma leitura leve e que serve muito bem para passar algumas horas agradáveis.

Avaliação (de1 a 5):