Federico Moccia – Desculpa, Quero me Casar Contigo

O post de hoje fala sobre a sequência de Desculpa se te chamo de amor, um romance lindíssimo do italiano Federico Moccia. Se você perdeu a resenha do primeiro volume, confira aqui.

ATENÇÃO, ESTE POST PODE CONTER SPOILERS PARA QUEM AINDA NÃO LEU O VOLUME ANTERIOR!!!

Neste segundo volume Nikki e Alex estão de volta do farol, unidos e dispostos a seguir uma vida juntos. Porém, se adaptar novamente ao dia a dia, família, amigos, trabalho e estudos não vai ser fácil. Alex voltou ao escritório e Nikki começou a faculdade. Só que em meio à desgraça dos casamentos de seus amigos, Alex está cada vez mais paranóico e ciumento.

Por causa disso, ele resolve não esperar mais e garantir que Nikki seja somente sua para o resto da vida. Para isso, ele bola um plano lindo, mágico e de tirar o fôlego (impossível uma garota não sentir inveja ao ler), para pedir a mão da jovem em casamento.

Enquanto isso, Nikki conhece pessoas novas e diferentes, e sente que talvez as coisas estejam indo rápido demais. Porém, ao ser pedida em casamento de forma tão linda, ela aceita sem pensar duas vezes, o que pode trazer grande sofrimento aos dois no futuro.

Em meio aos preparativos para o casamento, Nikki se vê forçada a conviver com as irmãs insuportáveis de Alex, quase não o encontra mais e deixa suas amigas, as Ondas que tanto precisam dela, de lado. Já o noivo está encantado com a nova secretária, ex-modelo e belíssima, que o chefe joga para cima dele sempre que tem oportunidade!

É claro que neste cenário é improvável que saia um casamento feliz! Sendo assim, neste livro derramaremos muitas lágrimas, odiaremos e amaremos os personagens e admiraremos a beleza com que o autor conseguiu descrever a imperfeição e a incerteza que permeiam o amor.

A beleza da trama, na minha opinião, está em conseguirmos ver que sempre temos escolha, mesmo que isso não seja bom para nós. A questão da infidelidade também foi otimamente colocada, adorei o destino que Moccia deu para os casais secundários. As Ondas, mais uma vez, roubaram a cena, mas nesta obra isso não me incomodou tanto. Até gostei de ler mais sobre os dramas de cada uma!

O estilo de narrativa continua o mesmo, então dou o mesmo aviso que em Desculpa se te chamo de amor: se você não gosta de enredos com frases curtas, que trazem uma dificuldade maior no início da leitura, talvez não vá gostar desta obra. No mais, recomendo a todas as românticas incuráveis, que querem se divertir com uma história original e emocionante. 🙂

Avaliação (de1 a5):

Anúncios

Federico Moccia – Desculpa se te chamo de amor

Esta obra, escrita pelo italiano Federico Moccia, é extremamente romântica. Um livro feito para suspirarmos e nos inspirarmos na fé no amor.

Nikki é uma adolescente que ama a vida e a curte com intensidade e paixão. Seu jeito é espevitado, extrovertido, até meio louco. Junto com suas amigas, as Ondas Olly, Diletta e Erica, ela vive loucas aventuras pelas ruas italianas.

Alex é um publicitário bem sucedido, chegando aos 40 anos com muita beleza, charme e elegância. Ele está noivo de Elena, uma mulher elegante, bonita e sofisticada. Os dois formam um casal convencional, bem sucedido e aparentemente apaixonado.

Só que Alex não esperava um dia chegar em casa e encontrar de Elena apenas uma carta de despedida e nada mais. Ele sofre, ele chora. Nem mesmo os fiéis escudeiros, amigos do peito Pietro, Enrico e Flávio conseguem animá-lo depois de tal decepção.

É neste quadro que os dois se encontram, através de um acidente de trânsito sem maiores conseqüências envolvendo a moto de Nikki e o carro importado de Alex.

Ela persegue o coitado, inferniza a vida dele, dá uma de oportunista e assim surge uma paixão. Mas o que fazer para superar uma diferença de idade tão grande? O preconceito é muito alto contra casais assim tão diferentes. Juntos eles terão de lutar contra isso e contra seus próprios medos.

Eu adorei o livro, apesar de ter estranhado muito a narrativa do autor no início da leitura. As frases são bem curtinhas, às vezes de uma palavra só. Isso torna a narração rápida, mas também me confundiu ou arrastou certos trechos. O jeito italiano de escrever é bem peculiar, mas não desagradável, apenas diferente.

Este é um romance lindo, de decepção e superação. As histórias paralelas são interessantes, porém às vezes eu não queria lê-las só para ter mais de Alex e Nikki.

Já li esta obra faz um tempo (ganhei da minha querida mamãe ano passado), mas resolvi resenhar agora porque li esta semana a sequência da série, “Desculpa, quero me casar contigo” que eu vou postar em breve. Esta obra tem uma adaptação para o cinema, chamada Lição de Amor que é muito boa, eu pelo menos adorei! Assistam!!!

Avaliação (de1 a 5):

Jill Mansell – Uma proposta irrecusável

Primeiro livro de Jill Mansell que eu tenho o prazer de ler, Uma proposta irrecusável, é fantástico!!! Um livro de estilo clássico que aborda muito bem a importância da família de ambos os lados em um relacionamento.

Lola era uma dolescente de 17 anos e vivia toda magia do primeiro amor com Douguie, um namoro recheado de carinho e afeição. Ambos estavam apaixonados e pretendiam seguir suas vidas e ir para faculdade juntos.

Porém, Lola não contava com a astúcia de sua “sogra”. A mãe de Douguie não desejava a união de seu filho com alguém de “baixo nível” como Lola. A família de Douguie era extremamente tradicional e rica. Então, para não prejudicar o futuro de seu filhinho, a matriarca faz uma proposta irrecusável a garota para que termine o relacionamento.

Dez anos depois, em um acaso do destino, eles voltam a se encontrar e chovem faíscas! Todos os sentimentos voltam com força total, mas Douguie não superou nem um pouco os acontecimentos do passado.

O mais divertido do livro são os personagens. Não é só a história dos dois que é contada. Tanto os pais de Lola quanto a irmã de Douguie garantem muito romance e boas risadas. O livro é extremamente divertido e engraçado, muito criativo em certos pontos também!

Com certeza pretendo ler as demais obras da autora, gostei muito do estilo de escrita e da narrativa imposta por ela. Parabenizo a Editora Planeta pelos ótimos lançamento do selo Essência. Praticamente todos são maravilhosos!

Avaliação (de 1 a 5):

Richelle Mead – Série Succubus

A série Succubus é, definitivamente, uma das minhas favoritas. Não é segredo para ninguém que eu idolatro Richelle Mead. Ela, junto com Meg Cabot, Suzanne Collins, Sophie Kinsella , Marian Keyes, J. R. Ward e J. K. Rowlling estão no rol das minhas favoritas!

Vampire Academy é a série de maior sucesso da ruiva, mas é destinada a um público mais jovem. Já a série Succubus é literalmente adulta. O súcubo é um ser mítico e demoníaco que seduz os homens e leva suas almas para o inferno ao dormir com eles. E nossa protagonista, Georgina Kincaid, é um súcubo. Ou seja, se alimenta da energia vital dos seres humanos indo para a cama com eles.

Pode parecer bem pesado, mas a escrita de Richelle, além de sensual, é rechada de tiradas sarcásticas e engraçadas. O enredo é muito bem desenvolvido e todos os personagens (mesmo o arqui-demônio Jerome) acabam por me encantar.

Eu já li os cinco volumes lançados no exterior, dos quais apenas três já foram lançados aqui também: “A canção do Súcubo”, “O poder do Súcubo”, “O sonho do Súcubo”, “Succubus Heat” e “Succubus Shadows”. Estou aguardando anciosamente o lançamento do sexto e último livro: “Succubus Revealed”!!!

No primeiro volume conhecemos Georgie e seus amigos: um grupo formado por dois vampiros, um duende e um demônio inferior. No final eles até acabam fazendo amizade com um anjo, Carter (que é, sem trocadilhos, divino *-*).

Também conhecemos Seth Mortensen, um escritor pra lá de charmoso (mas muito tímido) que faz reviver em Georgina emoções de um passado que ela sempre quis esquecer.

Ao longo dos livros vamos entendendo mais sobre o modo de vida da personagem e nos divertindo com as confusões infernais em que ela se mete. Seth se torna cada vez mais desejável. E cada vez mais inatingível. A gloriosa súcubo não quer roubar a energia vital de seu amado e isto é, literalmente, uma barreira entre os dois.

Esta é uma história de amor não-convencional que me encanta pela superação, pela força de vontade de lutar contra os obstáculos que os separam. Eles desejam estar sempre juntos e isso é mais forte que tudo.

“Eu não acho que posso encarar qualquer um. Mesmo você agora… Que é a melhor coisa do mundo e a pior. Vê-la o tempo todo seria apenas a lembrança de que não podemos estar juntos e nós nos veríamos o tempo todo, você sabe. Se eu aprendi alguma coisa é que o destino não permite que você e eu fiquemos distantes por muito tempo”

Seth Mortensen

“- Qual é o seu sabor favorito? – perguntou Maddie

– Eu aposto que posso adivinhar – disse Simone – Chocolate!

– Morangos! – chutou Maddie

(Georgina) Perdedoras. Era baunilha.

– Baunilha – disse Seth.”

Succubus Shadows

Não deixem de ler e se aventurar com esta história imperdível. E que venha o desfecho tão aguardado. Eu tenho os meus palpites, e vocês?

Avaliação (de 1 a 5):