Aprilynne Pike – Asas

Um livro jovem, leve e gostoso de se ler. Esta é a melhor definição que consigo encontrar para Asas, um romance sobrenatural muito fofo escrito por Aprilynne Pike e que nome é esse gente! O livro me conquistou de cara pela capa, muito bonita, e pela edição linda que a Bertrand desenvolveu.

A história fala de Laurel, uma garota adotada que sempre estudou em casa, pois morava em uma cidade pequena e a escola ficava muito longe. Agora que seus pais compraram uma livraria em uma cidade maior, ela finalmente terá de enfrentar a maldição do ensino médio, tarefa pela qual não está nem um pouco entusiasmada.

Logo no primeiro dia, porém, ela já faz amigos: David em especial. Ele é gentil com ela, a ajuda nas lições e a faz interagir socialmente. Seu grupinho nem liga para o fato de a menina ter hábitos alimentares bem estranhos para os padrões adolescentes (ela só come frutas e verduras).

Tudo estava indo bem para ela, mas de repente não mais que de repente, surge um caroço nas costas dela. Um caroço muito grande e que cresce cada dia mais. Certa de que irá morrer logo de um câncer, Laurel não sabe o que fazer e tem  medo de revelar aos pais o que está acontecendo. Sim, sim, típico de protagonistas deste tipo de livro as vezes me canso delas hehe!

Só que o caroço, depois de um tempo, dá lugar a algo mais bizarro e chamativo. E é aí que começa a história de verdade e os problemas de Laurel. Confesso que foi difícil desgrudar do livro, foi uma leitura bem rápida e bastante divertida. O tema fadas parece estar vindo com força total nos lançamentos, fato que muito me agrada por ser fã do gênero.

Os personagens são engraçados e bem desenvolvidos, assim como o resto da história. Mas apesar de toda maluquice criada pela autora, ainda achei que faltou alguma coisa para deixar a obra perfeita sabem?! Faltou aquele algo mais! Não sei bem explicar.

Um ponto extremamente negativo no meu ver foi a inserção de um triangulo amoroso bastante forte. Tão forte que não sei ainda qual dos dois mocinhos eu prefiro! Acho que nem Laurel sabe, na realidade. Não gosto muito quando temos dois personagens masculinos perfeitos disputando nossa atenção. Mas enfim, o jeito é esperar para ver e torcer para que a autora desenrole logo a trama

Mesmo assim o livro me surpreendeu bastante, confesso que não esperava gostar tanto dele, entretanto acabei me afeiçoando a narrativa e fiquei bastante curiosa para saber como se desenrolará a história.

Se você é daqueles que tem medo de séries pela falta de conclusão dos volumes pode ler sem medo, porque a trama é bem concluída e tudo menos a questão amorosa é resolvido em Asas! Recomendado 🙂

Avaliação (de 1 a 5):

Anúncios

Cristopher Paolini – Eragon

Este livro é um infanto-juvenil bem conhecido entre os amantes do gênero. Eragon é o primeiro livro do Ciclo da Herança (originalmente Trilogia da Herança, só que o autor resolveu se estender, pra variar) que tem mais dois livros lançados aqui no Brasil (Eldest e Brisingr) e um último volume, Inheritance, que tem previsão de lançamento para novembro nos EUA.

Como já fica meio óbvio pela capa, o livro traz o tema dragões! A trama narra a estória de Eragon, um garoto que mora na Alagaësia e vê um mundo de aventuras e fantasia se abrir para ele depois de encontrar uma misteriosa pedra azul.

Aquela não era uma pedra qualquer, muitos morreram para protegê-la, mas pelas mãos do destino ela acabou ficando com o menino. Eu realmente não quero contar qual o mistério da pedra, mesmo sabendo que é fundamental para a descrição do livro e também que vocês poderão achar a informação em qualquer lugar. Mesmo assim, direi apenas que a pedra fará Eragon viver muitas aventuras, conhecer muitas pessoas interessantes e lidar com situações nunca sonhadas por ele antes.

É extremamente difícil fazer uma resenha para este livro sem soltar spoilers (coisa que detesto), então vou me ater ao mundo que o autor criou para a obra. É um mundo mágico, onde existem fadas, dragões e muitas outras criaturas, onde os nobres cavaleiros de dragões um dia habitaram e de que um traidor entre eles se apossou e se intitulou rei. Esse rei ainda vive, embora encontre resistência em vários povos, rebeldes que se refugiam em lugares inóspitos e de difícil acesso.

Eragon não fazia ideia de como seu mundo poderia mudar, mas é forçado a abandonar sua família para ir em busca do seu destino, que é muito mais importante e incerto do que ele jamais sonhou.

Falando um pouco sobre a narrativa, achei a trama de Paolini muito devagar em certos pontos, cheia de parágrafos explicativos desnecessários e, sob certos aspectos, bem pouco criativos. Aliás, a trama não é o que eu poderia chamar de criativa.

Apesar de tudo isso, fiquei curiosa com o desenrolar da estória, que acaba em um ponto crucial e nos leva a desejar o próximo volume com certa ansiedade. Eu já tenho Eldest aqui em casa e pretendo ler em breve, pelas resenhas que já vi, parece ser melhor que o primeiro.

Não é uma obra perfeita, mas um bom passatempo para os amantes da literatura fantástica. Apesar de querer mudar certas coisas nele, é um livro que vale a pena ser conhecido!

Avaliação (de 1 a 5):

Richelle Mead – Filha da Tempestade

Hello people! Hoje a resenha é sobre o livro de uma das minhas autoras favoritas. Richelle Mead, juntamente com Meg Cabot, Sophie Kinsella, Diana Gabaldon, Nora Roberts, J. K. Howling, Paula Pimenta, Carina Rissi e, mais recentemente, Maria V. Snyder, figura entre minhas escritoras preferidas! Para quem não sabe (o que eu acho meio difícil) ela é a autora da série Vampire Academy, possivelmente a melhor série YA sobrenatural da década!!! Porém, muito mais do que isso, Richelle se dedica a criar todos os tipos de estórias sobrenaturais, para todos os públicos. Eu a amo escrevendo infanto-juvenis e a amo escrevendo para adultos. Para vocês terem uma noção do meu amor pelas obras dela, acessem aqui o post sobre os livros da minha vida (entre os quais falo sobre VA) e aqui a resenha que fiz sobre a série Succubus, outra maravilha criada por esta ruiva!!!

Bem, mas a trama de hoje é bem diferente destas que eu citei. O livro Filha da Tempestade fala sobre uma xamã, capaz de lidar com espíritos, demônios e tantas outras criaturas do Outro Mundo. O nome desta xamã em especial é Eugenie Markham, também conhecida no seu ramo profissional como Odile Cisne Negro (Dark Sawn = Cisne Negro, captaram?!). Ela foi treinada desde pequena por seu padrasto para combater as criaturas do mal que invadem este mundo, e vive desta profissão.

Mas existem muitos segredos por trás de sua origens, coisas que tanto seu padrasto (que é como um pai para ela) quanto sua mãe esconderam durante toda vida.

Porém, ao aceitar um difícil caso envolvendo uma menina sequestrada por um Nobre do Outro Mundo, ela vai se ver presa em uma intrincada trama envolvendo seu verdadeiro pai e muitos outros personagens daquele mundo que ela tanto despreza.

Nesta aventura Eugenie conhece Kiyo e Dorian, homens extremamente diferentes, mas que compõem um ótimo triângulo amoroso com a moça. Eu sou total e assumidamente Team Dorian, afinal quem iria preferir um musculoso veterinário a um poderoso, lindo, gostoso e refinado rei???

Os pontos negativos da obra ficaram por conta da revisão pouco cuidadosa da editora (não sei se foi porque ainda não tinha me ligado totalmente na história, mas só encontrei erros de concordância e coesão no início da obra), e a falta de maiores explicações sobre o Outro Mundo logo no começo da narrativa. Porém, não foi nada que tirasse o brilho de uma obra escrita tão bem por alguém tão talentoso quanto Richelle Mead! Eu amei o início da série e pretendo acompanhar de pertinho os próximos lançamentos desta saga, que já conta com mais dois volumes (intitulados Thorn Queen e Iron Crowned) no exterior e um quarto volume que tem previsão de lançamento para janeiro de 2012 e se chamará Shadow Heir (informações do site da autora).

A capa brasileira manteve a imagem original, o que eu gostei bastante. Espero que as próximas continuem assim. Não sei se vocês já perceberam, mas é uma espécie de padrão que as capas dos livros dessa autora sejam mantidas originais nas edições brasileiras… Enfim, por hoje era isso! Recomendo muito o livro, que traz um enredo rico em mitologia, sobrenatural, romance, muitas cenas hot e tudo mais que eu amo neste gênero literário!!!

Avaliação (de 1 a 5):

Jenna Black – Glimmerglass

Mais um romance sobrenatural lindo que entra para minha listinha de favoritos! Glimmerglass, da autora Jenna Black (esse nome Jenna sempre me lembra do filme De repente 30), foi publicado recentemente aqui no Brasil pela Editora Universo dos Livros. Falando bem a verdade, eu comprei este livro pela capa. Assim que eu a vi, soube que teria que ter este livro, a história em si até ficou em segundo plano. Eu comecei a ler resenhas muito boas sobre ele e então não tive dúvidas, comprei o livrinho! Ele chegou aqui em casa tão lindo e perfeitinho que quase o beijei de tão feliz que estava!!! Deixem-me falar, a capa é linda meeesmo, tem uns brilhos que parecem pequenos strass pontuando toda a imagem, que também é perfeita.

Mas falando sobre a história em si, o livro é sobre Dana, uma adolescente de 16 anos que morou durante toda sua vida com a mãe alcoólatra e não aguenta mais ser o “adulto responsável” da casa. Sua mãe a faz passar por várias situações constrangedoras, além de nunca ficar sóbria o suficiente para dar atenção a filha.

Por isso, Dana resolve fugir de casa para tentar encontrar seu pai, do qual a mãe vive falando, mas que ela nunca conheceu.

O pai de Dana é um feérico, um ser originário das fadas, e vive em Avalon, uma espécie de país emancipado dentro da Inglaterra. Ele tem um alto posto dentro da hierarquia feérica, o que ainda vai trazer muitos problemas para sua filha. Mas eu estou me adiantando. Primeiro, deixem-me explicar que, no livro, humanos e feéricos convivem mutuamente, mas somente em Avalon, porque a cidade é o portal para Faerie, o mundo mágico. Somente lá a magia e a tecnologia convivem e os seres místicos podem, sob algumas condições, atravessar as fronteiras. Resolvi dar essa explicação um tanto confusa porque senti falta disso no início da obra, fiquei meio perdida com tanta informação!

A trama começa quando Dana foge para Avalon, mas logo em sua chegada descobre que a vida com sua mãe poderia ser considerada um paraíso comparada a que a aguardava naquela cidade. Seu pai está preso, sua tia, chefe da guarda, a mantém prisioneira e ela não consegue entender porque tanta gente está atrás dela. Ela acaba sendo “sequestrada” ou “resgatada” (dependendo do ponto de vista) por dois jovens feéricos, Ethan e Kimber. Os dois são irmãos e a levam para seu apartamento. Junto com eles Dana vai aprendendo mais sobre aquele lugar e descobrindo que ela pode ser muito mais do que imagina.

O ritmo que a autora imprimiu a história poderia ter sido melhor trabalhado, entretanto, acima de tudo isso fica a qualidade da história. Eu gostei muito de ler Glimmerglass, um young adult sobrenatural muito bom. É um livro que eu recomendo para os amantes do gênero, pois talvez quem já está cansado deste estilo se frustre com a trama.

Avaliação (de 1 a 5):

Rachel Hawkins – Hex Hall

Adorei! Hex Hall é mais um YA book sobrenatural que entrou para minha galeria de favoritos! A escrita de Rachel Hawkins é realmente muito boa e ela abordou o tema de bruxas, fadas, metamorfos e demônios em um contexto muito original. Hex Hall é um reformatório para seres sobrenaturais que aprontaram demais durante a adolescência ameaçando o segredo da existência deles perante a humanidade.

Sophie é uma bruxa que foi criada por sua mãe humana que se separou de seu pai bruxo antes de ela nascer. Ela nunca viu o pai, mas sabe que ele trabalha para o Conselho (tipo um governo do mundo dos sobrenaturais) e quando ela faz um feitiço do amor para ajudar uma conhecida e ele se torna desastroso, recebe um e-mail do Conselho dizendo que será mandada para a Hex Hall.

Sophie nunca havia entrado em contato com outras bruxas ou mesmo com fadas, metamorfose e vampiros. A vida dela no reformatório não é fácil, ela é tipo um Harry Potter no primeiro ano em Hogwarts, não sabe nada sobre o mundo bruxo. Ela é colega de quarto de uma vampira, a única do lugar, e que todos desconfiam que é responsável pela morte de uma aluna de Hex Hall. Isso não a torna muito popular porque Sophie não acredita nisso e se torna amiga da vamp.

Como não podia deixar de ser há um garoto estilo bad boy (adorei!) na vida de Sophie, que ela já conhece logo no primeiro dia. Archer é um personagem maravilhoso que me cativou rapidinho. Entretanto como nem tudo são flores ele tem namorada, que é a maior inimiga de Sophie na escola (clichê, eu sei, mas nem por isso menos interessante)! Claro que não vou contar como isso se desenrola mas posso adiantar que a trama é incrível, me prendeu totalmente e me lembrou um pouco o estilo da diva Meg Cabot!

Sophie é uma personagem muito marcante por suas tiradas sarcásticas e seus pensamentos que me fizeram rir muuuitas vezes!

“Ser uma bruxa definitivamente não era tão legal quanto eu imaginava. Primeiro porque eu não voava em uma vassoura. (Perguntei à mamãe sobre isso quando meus poderes começaram a aparecer, e ela disse que não. Tive que continuar a me locomover de ônibus como todo mundo.) Não tenho um livro de magia , nem um gato que fala (sou alérgica), e nunca saberia onde encontrar ingredientes como, por exemplo, olhos de lagartixa.”

Como todos os livros do estilo na atual época, este é o primeiro de uma série (só de pensar nessa palavra já imagino faturas de cartão com valores exorbitantes na minha frente)!!! Posso adiantar que o livro tem um final, mas que deixa vários ganchos para o próximo volume e a última frase me deixou morta de curiosidade e ansiedade pelo lançamento do livro seguinte. Enfim, se você assim como eu não está cansado do gênero sobrenatural mas deseja um livro que se destaque dos demais, corra para livraria e pegue o seu exemplar de mais um sucesso que a Galera Record trouxe pra gente!

Avaliação (de 1 a 5):